Siga-nos

Blog

Soalheiro Clássico surge com mais mineralidade

2020/12/11

Com mais mineralidade, mas mantendo-se fiel às suas caraterísticas intemporais, surge o Soalheiro Clássico 2020. A elegância deste clássico da Primeira Marca de Alvarinho de Melgaço aliada à frescura aromática da casta Alvarinho confere-lhe um perfil mais consensual e intemporal destacado pela intensidade gustativa e pela notável longevidade em garrafa.

Para António Luís Cerdeira, enólogo do Soalheiro, “embora mais mineral do nunca, a edição 2020 do Soalheiro Clássico distingue-se do Soalheiro Granit - um vinho de montanha, mais vertical - por ter mais fruta, mais volume e uma invulgar longevidade em garrafa”. De cor amarela-citrina, o seu paladar é intenso, fresco e tropical. A sua versatilidade torna-o a companhia perfeita em vários momentos distintos à mesa, sendo eleito para aperitivo ou para acompanhar pratos de marisco, peixe ou carnes de aves.

Este ano, a Vindima em Monção e Melgaço, começou cerca de uma semana antes do que é costume nesta sub-região dos Vinhos Verdes e as expetativas acerca da qualidade desta colheita eram as melhores. Com o lançamento deste Clássico, António Luís Cerdeira confirma que foi “uma colheita excecional”. Para o Enólogo do Soalheiro, o final do ciclo, que ficou marcado por um final de agosto mais ameno e que permitiu experienciar uma amplitude térmica elevada caraterística deste território - com temperaturas de cerca de 30ºC durante o dia e noites com temperaturas por volta dos 16ºC – “levou a uma maturação mais lenta com a manutenção da frescura aromática e gustativa, caraterística marcante dos nossos vinhos”.

O lançamento desta edição realiza-se, em simultâneo, com o lançamento de novos modelos de garrafa e de caixas personalizados e de design ecoeficiente que contribuem para a redução da pegada ambiental da marca. A nova garrafa, cuja produção passa a ser feita em Portugal, permitiu uma redução de 19% das emissões de CO2 no seu fabrico e uma redução de 8,5 vezes emissões de CO2 no transporte, uma vez que, até agora, as garrafas vinham do centro da Europa.

Nesta trajetória de sustentabilidade, também, as caixas do Soalheiro foram personalizadas, consumindo agora menos 39% de cartão em cada embalagem e representando uma redução da pegada no transporte. O cartão passou a ser oriundo de florestas geridas de modo responsável (certificado FSC) e a funcionalidade da caixa veio realçar o potencial de evolução destes alvarinhos, uma vez que depois de aberta, pode ser guardada em pé, por quem pretende beber o vinho ainda jovem, ou deitada, posição ideal para que o vinho possa evoluir em garrafa da melhor maneira possível.